Para além da embalagem: selos de produtos

Para além da embalagem: selos de produtos

Segundo a Pesquisa Vida Saudável e Sustentável 2021: um estudo global de percepções do consumidor, realizada pela organização sem fins lucrativos Akatu, cerca de 86% dos brasileiros declaram desejar reduzir seu impacto individual ao meio ambiente e à natureza. 

 

Dessa forma, e com a mudança da face do consumidor, podemos perceber um aumento na busca por entender um pouco melhor sobre os selos dos produtos que os consumidores vão receber em suas casas. 

 

Com isso em mente, preparamos um conteúdo especial sobre o significado de algumas das principais certificações que podem estampar embalagens, bem como a relevância dessas identificações. Confira!

 

Importância nos selos de produtos

Como já comentamos, responsabilidade ambiental e consumo consciente têm se tornado preocupações cada vez mais constantes na mente daquelas e daqueles que fazem compras, sejam elas online ou não. Da mesma forma, conseguimos perceber o incômodo crescente com a origem e a cultura por trás desses produtos.

 

Por isso, é essencial que tanto as empresas grandes quanto as pequenas trabalhem com processos de produção mais transparentes e deixem nítidas as bandeiras que levantam e pautas que acredita serem relevantes. 

 

Assim, é fundamental que os empreendedores se adaptem e deixem nítido em seus sites, embalagens e, até mesmo, no atendimento, quais as ações de responsabilidade social e ambiental são realizadas e valorizadas pela marca.


Antes de disponibilizar um produto online, entenda a importância dos selos e certificações das embalagens que você vai receber em casa.

 

Dessa maneira, certificações e selos de produtos se tornam um diferencial na hora de fechar uma compra, um exemplo de credibilidade e um meio de gerar identificação empresa-consumidor, além de incentivar atitudes e processos mais sustentáveis e conscientes tanto de negócios quanto de compradores.

 

O que é consumo consciente?

Antes de falar sobre selos importantes, é essencial definir o que é consumo consciente. Esse termo é definido como a consideração, ao longo do processo de compra, sobre o equilíbrio entre satisfação pessoal, impactos a longo prazo, efeitos sociais, ambientais e financeiros na hora de decidir adquirir determinado produto.

 

Conforme observamos em um artigo publicado pela Exame, a utilização de forma obrigatória de rótulos surgiu nos anos 40, na Europa, e servia especificamente para destacar a presença de substâncias químicas potencialmente danosas à saúde. Já nos anos 70, começamos a perceber o surgimento dos selos verdes, influência direta do nascimento do movimento ambientalista.

 

Hoje em dia, porém, a inclusão de selos e certificados em embalagens servem também para comunicar práticas sustentáveis e informações sobre toda a cadeia produtiva daquele produto. Além disso, eles ajudam a amadurecer o mercado e a incentivar que outras marcas adotem práticas mais sustentáveis.

 

Clientes que costumam conferir os selos de produtos garante que as suas escolhas são respeitadas pelas marcas que escolhe consumir.

 

Conheça alguns selos

Mas, com o excesso de informações, não é incomum que surjam dúvidas sobre o que esses selos realmente significam e qual é o processo para consegui-los. Por isso, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre algumas das principais certificações do mercado brasileiro.

 

Selo sem parabenos

A FDA (Food and Drug Administration), agência estadunidense responsável por monitorar alimentos, medicamentos e cosméticos, garantindo que sejam seguros e regulamentados, classifica os parabenos como conservantes utilizados para o controle do crescimento microbiano.

 

Muito utilizados na indústria devido à fácil acessibilidade e grande eficácia, os parabenos têm sido associados a casos de câncer e alergias, o que faz com que alguns consumidores optem por evitar comprar produtos que utilizem o composto em sua produção. A certificação serve, então, para assegurar que essa escolha seja respeitada.

 

Selo vegano

Ao contrário do que muita gente pensa, o veganismo é muito mais do que uma dieta à base de plantas. As pessoas que adotam essa pauta procuram um estilo de vida livre de todas as formas possíveis de exploração e crueldade animal. 

 

Assim, cosméticos, roupas, alimentação, bebidas e qualquer outro item comprado não pode possuir ingredientes de origem animal.

 

Para garantir que essa escolha seja respeitada, a Sociedade Vegetariana Brasileira criou, em 2013, o selo Vegano. Para conseguir essa certificação, toda a cadeia de produção de determinado produto passa por uma inspeção e avaliação técnica.

 

Selo de produto não testado em animais

Indo pelo mesmo caminho, o selo Cruelty-Free do PETA garante que a produção do item adquirido não conta com testes e experimentações em animais.


Os selos de produto vegano e cruelty free asseguram que a mercadoria não teve exploração de seres vivos durante a sua fabricação.

 

Selo Arte 

Criado especificamente para regulamentar produtos do segmento alimentício, esse selo de produtos artesanais garante que o alimento de origem animal adquirido possui propriedades organolépticas (ou aquelas que podem ser percebidas pelos nossos sentidos, como cor, textura, odor e sabor).

 

Segundo a cartilha divulgada pelo Governo Federal, a certificação atesta, também, que a mercadoria foi produzida respeitando características tradicionais ou culturais próprias de sua região de origem.

 

Ainda conforme o material, sua importância se dá por propiciar o acesso a produtos diferenciados e genuínos, além de incentivar o cumprimento dos requisitos sanitários e adoção de boas práticas agropecuárias. 

 

Selo Produto Orgânico

A certificação de produtos orgânicos é credenciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Ele garante que o produto adquirido segue as normas e práticas de produção orgânica.

 

Na prática, isso significa que aquela mercadoria possui no mínimo, 95% de ingredientes orgânicos e livres de agrotóxicos em sua composição. 

 

Selo EuReciclo

Estima-se que 80 milhões de toneladas de lixo sejam gerados todos os anos no Brasil, mas, desses, apenas 4% deles são reciclados. Assim, com a ideia de reduzir a quantidade de resíduos recicláveis que acabavam em aterros, há pouco mais de uma década surgiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), dando início aos debates sobre responsabilidade compartilhada.

 

O que, na prática, aponta que empresas e distribuidores também são responsáveis pela destinação das embalagens de seus produtos. Com isso, percebe-se a necessidade da criação de um sistema de lógica reversa cujo objetivo é aumentar o retorno desses materiais ao ciclo produtivo. 

 

Para entender de forma mais aprofundada toda essa movimentação, confira o webinar “Selos e Certificações — credibilidade e informação por trás dos símbolos” disponível no canal da EuReciclo no YouTube. 

A partir disso, nasce o selo EuReciclo. Seu principal objetivo é auxiliar empresas e empreendedores a realizar a logística reversa com a concretização da compensação ambiental de embalagens. 

 

Consumindo produtos com essa certificação, o comprador garante que dezenas de cooperativas de triagem sejam remuneradas para realizar o trabalho de redirecionamento para a reciclagem de material equivalente ao gerado pela marca escolhida.

 

Como você pode perceber, os selos e certificações garantem, mesmo com uma regulamentação pública deficiente, que os consumidores tenham suas escolhas respeitadas. Com eles, é possível comprovar que o produto escolhido já foi avaliado e que todo seu o processo de fabricação e distribuição é justo e transparente.

 

Para mais dicas sobre sustentabilidade, embalagens e gestão de negócios, acesse aos conteúdos do blog da Smurfit Kappa. Clique no banner abaixo e confira!



Search engine powered by ElasticSuite