Como começar a vender roupas online: 10 dicas valiosas

Como começar a vender roupas online: 10 dicas valiosas

Se você está iniciando no empreendedorismo, especificamente no setor de moda na internet, e pesquisando por boas dicas sobre como começar a vender roupas online, este texto é para você.

 

Abaixo, listamos 10 sugestões de como proporcionar ao usuário uma boa experiência na hora de conhecer os seus produtos. Para conferir cada uma delas, siga com a leitura!

 

  1. Escolha um nicho

Trabalhar com moda pode ser uma decisão muito ampla em um primeiro momento, já que existem vários nichos dentro do setor. Por isso, começar definindo qual será o seu é importante não só para a construção de um negócio consolidado, mas para a formação de estratégias futuras.

 

Hoje em dia, alguns dos nichos da moda que podemos encontrar e que possuem público são:

 

  • Moda fitness
  • Moda casual
  • Moda plus-size
  • Moda country
  • Moda sustentável
  • Moda evangélica
  • Moda streetwear
  • Moda brechó

 

A pergunta principal que deve ser feita é: qual deles é interessante para você e para as pessoas que pretende atingir?

 

Você pode, por exemplo, optar por focar em moda casual, seja por afinidade com o ramo ou por acreditar que terá uma boa adesão de público — inclusive, falaremos sobre ele na sequência. 

 

Ao mesmo tempo, também existe a oportunidade de revender moda fitness, já que é um ramo que tem sido impulsionado especialmente por conta da mudança do aumento da busca por mudanças de hábitos.

 

O setor fitness é uma das possibilidades de nicho da moda para revender.

 

No entanto, entre os nichos, há ainda a possibilidade de segmentar por peça. Você pode avaliar e chegar a conclusão de que trabalhará apenas com vestidos ou mesmo com calça jeans. 

 

O fato é que as possibilidades são muitas e avaliar com calma cada uma delas é importante, já que é fundamental e vai de encontro com a nossa próxima dica.  

 

  1. Defina o seu público-alvo

Público-alvo pode ser descrito como um conjunto de pessoas que contam com características em comum, como faixa-etária, sexo, profissão e interesses, ao qual determinada comunicação é direcionada.

 

Para definir o seu, é importante ter a primeira dica, a respeito do segmento de moda que você vai atuar, bem estabelecida. 

 

A título de exemplo, seguiremos com a ideia de que você optou por revender moda fitness.

 

Com essa decisão estabelecida e, é claro, com a consciência inicial de que seus consumidores acessam a internet, novos questionamentos devem ser feitos para ajudar na definição do perfil do público alvo. Veja exemplos:

 

  • A revenda de moda fitness será para homens, mulheres, ou ambos?
  • Qual a faixa-etária das pessoas que, possivelmente, vão se interessar pelo estilo de roupas que você escolheu?
  • Quais outras marcas do mesmo segmento esse público já consome?
  • O que essas pessoas priorizam na escolha de um produto? (durabilidade, conforto, estilo, etc.)
  • Como é a rotina desses consumidores? (estado civil, estudam ou trabalham, têm filhos ou não, etc.)

 

Com esses detalhes definidos, assim como outros que você julgar importante, as suas estratégias que envolvem comunicação, especialmente na hora de divulgar o empreendimento, serão realizadas com mais facilidade. 

 

Se você concluir que seu público acessa as redes sociais, poderá investir em anúncios no Instagram ou no Facebook, aumentando as chances de captá-los. Do mesmo modo que é possível concluir que uma propaganda de rádio convidando para acessar a loja virtual pode fazer mais sentido.

 

  1. Conte com bons fornecedores

Caso você não possua uma produção própria, fazer uma pesquisa detalhada sobre fornecedores antes de fechar uma primeira compra é indispensável. Para isso, você pode conversar com outros vendedores que já adquiriram os produtos, ou até mesmo buscar avaliações no Google.

 

Como o seu negócio está começando, a credibilidade dele também está em construção. 

 

Portanto, ter essa preocupação é importante não só para garantir a aquisição de peças de qualidade confiável, mas para evitar que os clientes se decepcionem e deem feedbacks negativos sobre a sua loja.

 

  1. Busque pelas plataformas ideais

Ao decidir vender roupas online, definir em qual espaço virtual isso será feito também é indispensável.

 

Atualmente, é possível encontrar uma gama de opções de sites de e-commerce e plataformas de marketplace. Ao realizar pesquisas sobre como começar a vender roupas online, pode ser que você se depare com esses dois caminhos.

 

Antes de decidir, pesquise bem por cada uma das plataformas de marketplace e sites de e-commerces existentes.

 

Mas, afinal, qual a diferença entre elas? Enquanto um site de e-commerce proporciona um domínio próprio para o seu negócio, os chamados marketplace funcionam como se fossem um grande shopping virtual que aluga espaço para outras lojas divulgarem produtos de diferentes ramos.

 

Exemplos de sites de e-commerce são Wix, Loja Integrada, Tray e Nuvemshop, ao passo que alguns dos marketplaces mais populares no Brasil são Amazon, Americanas, Mercado Livre, Magazine Luiza e Submarino — especificamente no ramo da moda, há, ainda, Dafiti, Trincae, Kanui e Enjoei.

 

Se você acredita que o marketplace é a opção mais viável para vender roupas online, é importante estudar detalhadamente cada uma das plataformas disponíveis e optar por apenas uma delas. Assim, você deposita todo o foco necessário para aprender a trabalhar com a selecionada, e consegue explorar todas as funcionalidades com sabedoria.

 

Vender nas redes sociais

As redes sociais deixaram de ser apenas espaços apenas para compartilhar o dia a dia como pessoa física, e estão cada vez mais se atualizando com funções que permitem novas facilidades na hora de vender.

 

Por exemplo, se você optar por montar loja no Instagram, uma das funcionalidades atuais da plataforma é o chamado Instagram Shopping. Nessa nova aba, identificada pelo ícone de uma “bolsinha”, é possível divulgar os produtos à venda e informar o valor de cada um deles.

 

No vídeo abaixo, publicado no canal Pensando Diferente, você pode aprender mais sobre essa funcionalidade da plataforma e como ativá-la: 

 

A mesma coisa acontece no Facebook, que conta com um marketplace próprio voltado para a venda e compra entre os usuários. 

 

  1. Crie uma identidade visual

Ter uma identidade visual é mais um passo relevante na hora de estabelecer o seu negócio. Ainda mais se considerarmos que ela engloba não apenas a criação da imagem que vai representar o seu empreendimento, mas também por ser uma ponte entre ele e o reconhecimento por parte das pessoas.

 

A identidade visual cria um elo entre a marca e o consumidor.

 

Sendo assim, ela é essencial para a formação da marca, funcionando como uma síntese de tudo o que sua loja representa.

 

Nessa etapa, você pode buscar a ajuda de um designer, ou até mesmo de uma agência de publicidade.

 

  1. Esteja nas redes sociais

Ainda que você opte por não vender nas redes sociais, é preciso que a sua loja tenha um perfil nelas. Essa é uma forma de garantir que as pessoas conheçam a sua marca e, consequentemente, o seu site.

 

Você pode aproveitar as ferramentas para divulgar peças novas que forem chegando na loja virtual. Nesse caso, elas vão funcionar como uma espécie de vitrine online.

 

Além do Facebook e do Instagram, explore também o WhatsApp, por exemplo, para criar listas de transmissão e compartilhar os links de produtos.

 

Na hora de realizar as divulgações dos produtos, aposte nas redes sociais.

 

  1. Faça boas descrições dos produtos

Dentre tantas as funcionalidades disponíveis em uma plataforma de marketplace ou em site de e-commerce, uma delas é a possibilidade de escrever descrições sobre cada um dos produtos.

 

Dar a atenção necessária para essa questão é essencial, pois as descrições podem ser um ponto decisivo para o cliente na hora de escolher determinada roupa. Acredite, ninguém gosta de encontrá-las em branco. Portanto, lembre-se de priorizá-las!


Você pode começar falando sobre a usabilidade da peça (onde e como ela pode ser utilizada), abordar a qualidade do tecido, as cores e incluir a tabela de medidas de forma mais detalhada, além de outras informações que considerar necessárias.

 

  1. Faça fotos de qualidade 

Assim como as descrições, a imagem também tem uma relevância significativa na hora de fechar uma compra online.

 

E, quando falamos em qualidade, não nos referimos apenas ao número de pixels da imagem, mas também a composição dela. Por isso, planeje um cenário bem elaborado e que converse com a identidade da sua marca — ou aposte no clássico fundo branco.

 

Uma boa iluminação, assim como um bom enquadramento, são pontos para se atentar.

 

As fotografias devem mostrar a peça por completo, mas também detalhes da roupa.

 

Além disso, tente capturar por meio da fotografia o máximo de detalhes possíveis que a peça contém, dando notoriedade aos diferenciais que podem conquistar o cliente.

 

  1. Ofereça diversas formas de pagamento existentes

Tanto para o comércio físico, quanto para o online, é possível encontrar um leque de opções de pagamentos. 

 

Desde as mais clássicas, como cartão de crédito e boleto, até as mais modernas, como PIX e aquelas que envolvem fintechs de pagamento, como é o caso do PicPay, devem ser priorizadas por você.

 

Isso porque a preferência se difere de pessoa para pessoa. Assim, quanto mais possibilidades na hora de realizar o pagamento da compra o usuário encontrar na sua loja de roupas virtual, maiores a chances de alguma delas ser a que mais o agrada.

 

  1. Capriche nos envios

O envio é uma das últimas fases na revenda de roupa online, mas, sem dúvidas, pode ser considerado uma das mais importantes. Isso porque é justamente graças a ele que o consumidor, vai, enfim, entrar em contato com a peça adquirida na sua loja virtual.

 

Dizem que “a primeira impressão é a que fica”. Portanto, não tenha receio de caprichar em cada detalhe: desde a escolha das embalagens para roupas até a forma de entrega (via transportadora, Correios, etc).

 

A entrega é o momento em que o consumidor irá, enfim, entrar em contato com a peça adquirida.

 

Com um modelo de caixa estabelecido, você pode planejar alguns complementos que vão dar ainda mais charme.

 

Vale embrulhar as peças em papel seda de uma cor que combine com a sua identidade visual; borrifar a fragrância de uma água perfumada de odor agradável e suave; e ainda acrescentar mimos, como docinhos (desde que a validade não seja comprometida por conta do transporte) ou algum item específico produzido com o logotipo da loja, como espelhos de bolsa.

 

Seguindo as 10 sugestões acima sobre como começar a vender roupas online, as chances de você construir uma loja virtual baseada na qualidade e na segurança, sempre visando envolver os usuários da melhor forma, serão maiores.

 

Para mais dicas sobre como gerir o seu negócio e impressionar na hora de realizar as vendas, clique no banner abaixo confira mais conteúdos do blog da Smurfit Kappa.

 



Search engine powered by ElasticSuite